sábado, 15 de janeiro de 2011

Tristeza no Rio

O ano começa com mais uma calamidade. Uma tragédia onde cada imagem comove, entristece e perplexifica.

Haveria como se colocar no lugar dessas pessoas? Alguém consegue se imaginar perdendo 14 pessoas queridas da sua família direta? Seríamos capazes de sentir o que as familias que viram suas casas sumir em meio a lama estão sentindo?

Até o momento desse post são 600 mortos, podendo esse número dobrar... A região Serrana do Rio foi devastada por uma mistura de fenômeno da natureza com conseqüência da ação imprudente do homem.

Até quando continuaremos vendo esses acontecimentos?

De que adianta a visita de uma presidenta ao local se não há em nossa nação uma política firme de defesa civil? De que adianta uma economia ascendente se não temos cuidados básicos com a manutenção da vida?

Não venho aqui narrar os acontecimentos, não quero evocar os personagens dessa tragédia. Pelo adiantado dos fatos, isso já não é mais preciso. Basta acessar qualquer página de notícias que eles estão lá, com cada história mais triste que a outra. É de passar a tarde chorando, rever e chorar de novo...

O que gostaria é fazer um apelo a sociedade e aos líderes dessa nação.

Precisamos parar de acreditar que somos imortais, que nada nos atinge. Que o jeitinho brasileiro é permissível à tudo... Não dá para continuarmos construindo casas na beira de rios, nas encostas de morros, em vales cercados de montanhas e acharmos que a natureza ofendida nunca pedirá seu espaço de volta. As calamidades que ocorrem ano após ano estão aí para nos mostrar que enquanto não mudarmos de postura continuaremos a ver muito dos nossos morrendo pela nossa própria imprudência.

Sim, foi um fenômeno natural raríssimo, que atingiu até quem estava com sua ocupação regular. Mas muitas daquelas casas foram levantadas onde jamais deveriam ter sido. Muito dessa tragédia poderia ter sido evitado!

E aos governantes, mais responsabilidade! A conta dessas mortes, vocês dividem com a natureza. Vivemos em um país abençoado por Deus. Não temos nevasca, não temos tornados, terremotos, nosso único problema é a nossa própria geografia e a chuva. Por isso, ser responsável e zelar pela sua sociedade torna-se ainda mais fácil que em outros lugares do mundo.

Entretanto essa ausência de urgências climáticas nos faz cada vez mais imprudentes. Não temos fiscalização assertiva, cada um constrói onde quer. Depois nossos caríssimos políticos ainda vão lá fazer uma obrinha assistencialista, maquiar as mazelas em troca de votos. Isso, quando o certo seria retirar essas casas de locais indevidos enquanto ainda há vida para se viver.

Temos dinheiro para obras faraônicas e desnecessárias. Podemos suportar uma olimpíada e uma copa do mundo, mas não temos sistemas de alertas eficazes contra acidentes naturais.

É muito triste ver isso tudo acontecendo. A intenção desse post não é achar culpados. Com certeza as pessoas não gostariam de passar por tudo que estão passando. Lastimo profundamente por isso tudo. Mas, com alguns cuidados, poderíamos ter salvas muitas dessas vidas que se foram... Falta em nosso país, Educação e Responsabilidade.

14 comentários:

Marcel Camp disse...

EU SOU DO RIO DE JANEIRO, MAS FELIZMENTE NÃO MORO NA REGIÃO SERRANA! SOU DA ZONA NORTE, PRÓXIMO DO CENTRO... MAS AMIGOS MEUS TINHAM PARENTES NAS LOCALIDADES VITIMADAS PELA ENXURRADA!!!

O PROBLEMA FOI MESMO O DESCASO DO GOVERNO ESTADUAL QUE INVESTIU BILHÕES EM OBRAS, COMO REFORMAR O MARACANÃ 14 VEZES EM MENOS DE 5 ANOS! MAIS A COPA E AS OLIMPÍADAS QUE FOI GASTO PARA O ESTADO SEDIAR... TUDO ISSO, FOI VERBA E MAIS VERBA DOS DINHEIRO PÚBLICO QUE PODERIA TER IDO MUITO BEM PRA SANEAMENTO, ASFALTO, REDE DE ESGOTO E ANTI-BARRAGENS QUE PODERIA TER SIDO FEITO NAS REGIÕES ATINGIDAS!

OU SEJA, INVESTIU-SE MAL O DINHEIRO PÚBLICO E AGORA PESSOAS SOFREM E A REGIÃO SERRANA DO RIO ESTÁ NA MAIOR TRAGÉDIA QUE ACONTECEU!!!

LAMENTÁVEL.

DESPULPE O DESABAFO!
www.vemaquinomeublog.blogspot.com

Monteiro disse...

Excelente texto Daniel!!!
Coloca muito bem o que acontece em nosso País com relação ao descaso das autoridades para uma política de antecipação a estes acontecimentos.

Gostei muito da frase: "Não temos fiscalização assertiva, cada um constrói onde quer." Este é o problema!!! Não existe fiscalização, controle, punição para que concebe este tipo de moradias...
Um controle maior, fiscalização, punição aos que autorizam...enfim...creio que todos possuem uma parcela de culpa, mas cabe aos nossos políticos tomarem a iniciativa de correção.

André Poerschke Vieira disse...

minha postagem é muito parecida com a sua. A sua é mais sentimental a minha é mais crítica. ÓTIMO texto!

não comentarei minha opinião aqui, peço que dê uma lida no meu blog, minha opinião sobre esse assunto está na postagem haha

Nova postagem: Água mole em pedra dura tanto bate até que fura http://umdiaentenderei.blogspot.com/

Evandro Oliveira disse...

Daniel,
Parabéns pelo texto, concordo plenamente com você, natureza ofendida nunca pedirá seu espaço de volta. O que me deixa impressionado é a forma que o as instituições tratam isso em países como a Austrália e Portugal, onde o índice de chuvas foi maior porém praticamente não houve vítimas, pois as pessoas foram avisadas 2 dias antes.
Isso não exime nossa responsabilidade como cidadãos!

Volte sempre ao sabor da letra, eu voltarei aqui com certeza!

Indianara disse...

Muito boa sua postagem viu.
Mostra fatos a serem questionados, e refletidos.

Parabens.

http://projetandorascunhos.blogspot.com/

Pobre esponja disse...

Piedade e tudo mais, sempre. Amor ao próximo.
Mas agora sim, que deveriam, os cariocas, lotar as praças e praias para celebrar "providências".Vão nada... e acontecerá sempre...
Mas não é Rock in Rio, Olimpiadas ou Copa...se não lotaria.
Tudo isso vem do descaso de anos...


abç
Pobre Esponja

றαяo¢α disse...

Muito boa a postagem infelizmente o tema não nos traz alegria...mas é um completo descaso com o ser humano..enquanto os políticos ganham rios de dinheiro pra ficar nos roubando podem dizer que não tem verba pra obras e não fazem fiscalização pra evitar que as pessoas se abriguem em lugares de riscos...sei é tanta coisa pra desabar daria um novo post é revoltante..Que Deus ajude e conforte essas familias..essas noticias são lamentaveis

enricows disse...

Ótimo texto!
Bom, para mim, parte da culpa é do governo.
Tudo isso é muito triste!
Parabéns pelo blog!
Abraço!

Comente no meu blog também:
http://enricows.blogspot.com/

bia santos disse...

A água é a fonte da vida, mas também traz a morte...

É impossível ficar indiferente a tamanha tragédia...

Valdo Siqueira Piske disse...

Gostei do seu texto.
Brother eu penso que não podemos culpar só o governo pela tragédia, mas nossos governantes possuem uma boa parcela de culpa.
Vamos orar ou rezar para que os familiares daqueles que partiram fiquem bem.

Blog Compartilhando Idéias
http://www.valdopiske.blogspot.com
Seguindo o seu blohg.

isinha disse...

Muito bom o post,e concordo que não seja culpa somente da natureza devido a poluição que o homem causa,mas também omissão dos governantes que não fizeram nenhuma politica habitacional para tirar as pessoas que residiam em moradas irregulares simplismente cruzaram os braços.



visite o meu também falo do assunto


http://progressocontinuo-progressocontinuo.blogspot.com/

Clube do Filme disse...

Ótima postagem, falei sobre isso a pouco tempo e na minha opinião, são muitos os responsaveis por todo esse sofrimento que abala não so o Rio, mas todo o país..

[~] Sensei► disse...

É lamentável um governo que não liga para seu povo. Essa merda que acontece no Rio não é de hoje, acontece isso de chuva forte e tal todo início de ano no sudeste. Isso é culpa de político safado e de uma política de merda. Brasil é a nova Roma. Nossas ruas estão uma bosta e nossos estádios estão uma beleza. O povo do Rio e de todo o país precisa ver que isso tá errado,e cabe a nós que vemos isso mostrar o mesmo para eles.

http://deathecator.blogspot.com

Allan R. Regis. disse...

Morava em Santa Catarina quando ocorreram os eventos de 2008, na casa de meus, na cidade de Gaspar (próximo ao Morro do Baú, onde ocorreu um dos maiores deslizamentos).

Trabalhava em Blumenau (cidade vizinha a Gaspar) próximo ao lugar do deslizamento filmado de um prédio, e que foi bastante exibido na TV na época. Aliás, bem próximo a esse deslizamento ocorreu algo curioso em um morro. Foi também um deslizamento, mas de algum modo às arvores que ficaram de pé formaram uma cruz, dentro de um círculo (parecido com uma Cruz Celta). Estive em Blumenau em fevereiro e o que se ver dessa cruz hoje é bem sutil, apenas uma diferença na cor da vegetação, pelo menos de longe, próximo se percebe a diferença no tamanho da vegetação, mas a visualização da cruz só se dá com a distancia.

Bom. Certamente que o governo é omisso. Embora na época terem havido comentários de algumas celebridades que doariam dinheiro para a reconstrução, ainda assim o governo se comprometeu a ajudar.

Mas, sabemos que a práxis é utilizar situações de drama como insumo para engodo, ou seja, praticamente nada foi feito. Em outras palavras, um dos estados com maior volume de arrecadações não recebeu ainda hoje nada proporcional ao que alguns clubes de futebol conseguiram com a brincadeirinha da copa por aqui.

Duplicações de rodovias federais, manutenção de escolas e saúde, tudo bem atrás da construção de alguns estádios de futebol que, muito provavelmente, serão meio que doados a alguns clubes... Hoje mesmo, li reportagem na internet sobre as negociações de direitos de transmissão das copas do mundo de 2014 e 2015 (masculina e feminina) feitas pelo antigo dirigente da CBF.
http://br.esportes.yahoo.com/blogs/futebol-cinco-estrelas/presente-despedida-ricardo-teixeira-deve-durar-at%C3%A9-2018-214342662.html

É um absurdo!

É a já consagrada política do pão e circo.

É só quando algo muito forte acontece que algumas camadas de superficialidade são arrancadas. Embora seja possível através da observação experimentar algo próximo de um “sentir”, quem vive isto, vê isto e está no meio disto tem uma oportunidade incrível. Pode crescer e amadurecer.

Uma mudança na sociedade só é possível com pessoas assim. Embora eu acredite que tenhamos a tendência a ordem, o quadro de constante desleixo demonstrado através de variados meios, a constante confusão de valores, confusão de conceitos, é matéria-prima para desordem, pois retira aquilo que poderia fundamentar a construção, o desenvolvimento progressivo e igualitário da sociedade.

Não somos imortais, talvez o que precisemos sejam desses eventos para acordarmos e fazermos a diferença neste tempo de aprendizado. É como um conto budista que deixa a mensagem sobre a percepção. Um cavalo se põe em movimento com uma leve pressão, outro precisa de um tapa, um terceiro de uma pancada, enquanto o ultimo precisa sentir na carne a força da espora para se por em movimento.