sábado, 24 de janeiro de 2009

Ser fã!

Ser fã é ter uma pessoa como referencial. Não é bem escolha, pois o fã simplesmente gosta de ver seu artista. Fica parado, encantado apenas por presenciar uma apresentação. Sem as vezes nem mesmo saber o porque de gostar tanto daquele alguém que nunca lhe dirigiu uma palavra.

Ser fã é perigoso. Pode ser idolatrar alguém que é tão humano quanto você. Existem pessoas que simplesmente vivem por seus artistas. Têm tudo sobre o tal eleito, respiram a vida alheia e as vezes acabam esquecendo de viver suas próprias vidas.

Esse amor de fã pode suprimir seu amor-próprio e tornar-te obcecado por outro alguém que é tão humano quanto você.

Principalmente porquê no meio artistico quase todos levam uma vida banal. Na TV fazem que amam a todos, sempre sorridentes e gentis. Já pessoalmente desprezam seu próprio público. Seus fãs ficam a mercê de pessoas que os usam apenas para gerar receita e glamour. Por isso não é natural que deixemos de viver a nossa vida por outro.

Ao mesmo passo, é fascinante você ver alguém e sentir que gosta tanto quanto se fosse da sua própria família. Você passa a torcer pela felicidade dessa pessoa. Num gesto de generosidade, um fã é capaz de orar sempre para que Deus abençoe alguém que nem sabe que ele existe. É um tipo de amor puro. Um amor dedicado, sincero, que nasce do sorriso desse alguém que te cativa a distância. Parece coisa de alma!

A mim me encanta alguém muito especial. Não sou um fã louco de ficar correndo atrás do artista que admiro. Gosto de perceber as pessoas, de ir me envolvendo aos poucos, até perceber que estou apaixonado. Nesse ínterim descobri além de uma artista fantástica, um ser humano maravilhoso.

Vejo um carinho pelos fãs que não consigo perceber em outro artista atualmente. Bacana saber que após os seus shows, ainda fica horas recebendo pessoas no camarim. Seu blog é muito mais para interação com o público que para ganhar dinheiro (embora também seja para isso). Fica perceptível que não é apenas o trabalho de uma assessoria de imprensa, mas um gesto de carinho para tentar retribuir o tanto que as pessoas fazem por amor. Os posts são pessoais, períodicos e cheios de particularidades.

Sua vida é tão aberta aos seus fãs que quem não conhece pode achar que é puramente uma super-exposição. Mas a sinceridade do olhar e o tom das palavras mostram que é apenas vontade de permitir que de certa forma as pessoas estejam mais presentes.

Seu carinho e respeito com seu público ficou eternizado em uma linda canção, composta por um fã. Interpretada com o sentimento de quem captou o amor que continha cada verso.

Hoje, é lindo perceber que a juventude ainda pode ter bons referenciais. Mesmo num mundo com tanta coisa descartável...

Seu casamento, seu filho recém-chegado, seu carinho por sua familía, por seus fãs, e seu amor por Deus legitimam minha admiração. Gosto em particular do seu jeito de falar sempre colocando Deus e Jesus como decisores de sua vida.

Hoje a conheci mais um pouquinho. Acabei me inspirando a escrever todas essas linhas, depois que conheci um pouco mais do seu amor pelo seu público e sua devoção a Deus.

Por isso tudo, sou fã e fico feliz por saber que o meu gostar não é direcionado ao vazio e sim a um ser humano muito especial.


Atualização: Gostaria de agradecer publicamente ao Jornalista Fábio Ramalho, ancora do telejornal RJ Record, exibido no Rio de Janeiro. Fico feliz por meu post ter inspirado o texto do seu blog e muito grato por ter linkado no seu texto o meu blog. Nem sei se era para tanto... muito obrigado!

11 comentários:

Joshua disse...

Esse texto do fã é exatamente isso q vc falou. Já tive a chance de conhecer pessoas famosas fora da tv e teria sido melhor se n tivesse conhecido.

Abcs

Caroline Bigarel disse...

Sem fãs não existiriam artistas...
Tbm já conheci muitos famosos e percebi uma grande diferença, mas enfim...

abraços;

Thiago rainho disse...

nunca havia pensado nesse assunto da forma que você colocou, talvez pela maior parte das pessoas que sou fã ja estarem mortas, salvo poucas exceções como chico buarque ou arnaldo jabour por exemplo, mas sou mais fã de suas obras do que de suas pessoas, muito porque como você bem disse não conhecemos as pessoas por trás dos artistas. sou fã de muita gente que esta longe de ser famosa, apenas por serem pessoas maravilhoas, seres humanos diferenciados.

Bobagem com Mouse disse...

Já aconteceu o mesmo comigo!
Me decepicionei com artistas pessoalmente...antes não tivesse conhecido.

J. C. David disse...

legal o texto...o nome Fã..vem do Inglês Fanatic (fanático) o que é sempre complicado...muitos fãs...acabam exagerado...e indo além do que deveria ser só admiração.

Thiago Damião disse...

Bom post, e a juventude é um exemplo de como um ídolo é importante, é claro que muitas vezes o ídolo é doidão e não acrescenta muita coisa, ai complica, mas o negócio é o seu referencial ser você mesmo.

Euzer Lopes disse...

Engraçado, pode parecer ilógico, mas eu sou fã de três "pessoas" que estão num plano superior. Coloquei pessoas entra aspas porque ao longo deste comentário você vai entender.
Primeiro é meu pai. Quem me ensinou tudo o que eu deveria ser e não ser nesta vida. E acho que ele foi muito bem sucedido. Hoje tenho orgulho dos valores que ele tinha e, mesmo não compartilhando das mesmas opiniões, isso também foi um grande ensinamento: ser o que sou, não importa a quem.
O segundo é meu irmão. Ele foi um lutador. Mesmo armando seus inimigos (a doença), ele não teve medo do desafio. Foi em frente. Perdeu a luta mas saiu dela como vencedor pelo legado deixado.
E pra terminar, meu cachorro. É, um cachorro. Porque foi ele que me mostrou de forma mais transparente, o que é o amor incondicional.

Fábio Ramalho disse...

O amor de fã é uma coisa meio "Frankstein".

É Se dedicar e não necessariamente esperar algo em troca. É amor honesto, puro... mas quem já não passou pela situação de se deslumbrar ou se decepcionar com quem considera (ou considerava) um "ídolo"? Isso, infelizmente, pode acontecer. As pessoas são diferentes, lidam de formas diferentes não só com a fama, mas com glamour, dinheiro, sexo, etc.

Isso vale para todo mundo! Isso tem a ver com a "pessoa" em si e não com a fama que ela tem. É a mais pura prova de que esses que admiramos tanto, são pessoas normais como nós!

Elas tem defeitos e as vezes descem do pedestal da perfeição que NÓS é que as colocamos. As vezes é assim: nós que colocamos alto demais quem nem precisa (ou poderia) ver o mundo tão de cima.

As vezes lidamos com os "monstrinhos" que ajudamos a criar. Um coisa de cientista maluco que se deslumbra com a criação, mas depois se assusta com a criatura. Coisa "Frankstein" mesmo...

Parabéns pelo texto!

Fábio Ramalho

www.recordrio.com.br/blog/fabioramalho

Bia Mól disse...

ser fã é uma coisa meio doida. principalmente quando se imagina que quem é idolatrado é, sei lá, meio que um deus. tem que saber botar limites, acho isso.
sou fã (moderada!) do escritor luis fernando verissimo. mas sou fã (alucinada) da minha mãe. =]
gostei daqui. voltarei!
beijo

livia disse...

Gostei muito da matéria. Realmente ser fã é complicado, doido ( sei lá)...

Grande beijo,
Sou sua fã!!!

=]

lu carvalho disse...

é bem isso mesmo ser fã é uma grande loucura, uma loucura gostosa,é inexplicavel...