segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Pedro Cardoso - Uma Surpresa boa!

Bom é ser surpreendido quando não se espera tanto. Na última semana li uma entrevista na Isto É que me chamou muito a atenção. Nela, o ator-humorista Pedro Cardoso me surpreendeu positivamente ao tornar do meu conhecimento sua luta pela diminuição da pornografia na TV e por seu posicionamento político.

Vendo toda quinta suas peripécias na encarnando o ótimo Agostino Carrara, me divertindo acompanhando todas as trapalhadas que sempre o colocam em confusão com sua grande família, nunca parei para perceber o ator por trás do personagem. De tão bem construído, pareceu tão natural, que depois de tanto tempo não pude discernir o Tinho, do ator Pedro Cardoso.

E foi por isso que gostei tanto da entrevista. Descobri um ator, que apesar de ser parente sanguíneo de FHC, declaradamente sempre votou em Lula. Olha que bacana. Você tem um primo, convive com ele familiarmente (o Pedro freqüenta a casa de FHC) e tem uma ideologia edificada ao ponto de dizer, primo, não acho você o melhor para o meu país. Também ficou claro seu engajamento contra a pornografia na televisão. Um paradoxo para quem está lançando em breve um filme chamado “Todo Mundo têm Problemas Sexuais.”

Concordo com o ator quando ele rebate ao repórter que o propõe justificar como a TV teria audiência sem pornografia. Seu próprio programa, assim justificou e para mim concluiu o assunto. Na TV, o mais importante atualmente é vender corpos e desejos. O mais interessante do No Limite não é o desafio e sim as mulheres que já até posaram nuas (antigamente eles ainda escolhiam umas à posar, e não “posadas”). O mais bacana no Zorra não são as piadas, mas a parte da namoradinha de "Nerson" que, no meio de um estúdio gelado fica pelada com uma cerca apenas tapando o produto que ela vende ao final de um sábado.

Estou longe de ser moralista, mas temos tanto excesso na nossa TV, que surpreende ver que um ator, da Vênus platinada, também tenha esse descontentamento. Gostaria de encontrar coisas mais interessantes na TV, mas exatamente por isso, meu refúgio é aqui no meio dessa blogosfera tão rica em conteúdo.
Na foto, Pedro caracterizado pelo seu personagem mais famoso (foto divulgação - TV Globo)
O que você achou do texto? Dê seu voto abaixo!

11 comentários:

Aquele que anda no Vidro disse...

achei interessante o posicionamento do ator, e sim, sei q por trás de cada personagem, pode se surpreender com idéias pessoais dos atores. Qnto a pornografia, sim, é exagerada mesmo...infelizmente a apelação é alta e indiscriminada.
Mas não ligo pra isso, até pq, pornografia é bom e faz bem a saúde fisica e mental (mas não em excesso, pois qlqr coisa no mundo em excesso faz mal!)
^^
abraços^^

FábioE§¢orpïão disse...

Pedro Cardoso é um ótimo ator, principalmente cômico - e acho que o seriado de TV tornou-se um "emprego" que nem condiz com sua capacidade.

Sobre suas posições supostamente "ideológicas", prefiro não me manifestar - acho que cada um sabe de si.

Igor Pinheiro disse...

Sempre gostei do trabalho profissional do Pedro Cardoso e agora, com essas informações, gosto mais ainda do cara.
Não sabia que ele era parente do FHC!
Bem legal também a posição dele quanto a pornografia.
Agora, só por curiosidade, eu achava que ele era só ator de comédia até assistir "O que é isso, companheiro?" e comprovar que o cara manda MUUITO bem...

KGeo disse...

tem tantas coisas para serem mostradas na tv pornografia é só uma das mas n prescisar ser o principal

Vini e Carol disse...

Pô, interessante cara!
Nem sabia que ele era primo do FHC.
E realmente chega a ser um ato de coragem ele assumir que vota no Lula, até pq a família deles devem cair matando em cima dele!
Fora que é um ótimo ator.

Abraço.

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador..
desculpe usar este canal par comunicção:
!Tem uma denuncia de calote contra vc na comunidade "COMENTE NO BLOG ACIMA", verifique e resolva.

P. Florindo disse...

Não acho que o termo "pornografia" seja adequado para este post, já que pornografia é mais caracterizada pelo sexo explícito, coisa que não há (o máximo que pode haver é uma simulação e nada mais). Acho que o melhor seria "exploração do erotismo", do sexo, ou coisa assim.

Infelizmente é disso que o povo gosta e é isso que o povo quer. A Globo, que não é boba nem nada, assim como as outras emissoras aspirantes a "grande", sabe disso, sabe que isso é lucro certo e vai vender erotismo. Vai vender corpos sarados em realities show, vai vender vulgaridade em "erotismo", vai vender futilidade, narcisismo, egocentrismo entre outros vícios.

Eu gostaria que isso mudasse, mas isso só vai mudar quando esse povo que faz 50 milhões de ligações pro BBB se cansar de toda essa futilidade e da venda de desejos sexuais...

Marcelo disse...

Não li a reportagem que você citou, mas já conhecia esse posicionamento do Pedro Cardoso. Acho que ele tá certíssimo! O Cinema Brasileiro já sofreu por carregar, anos a fio, o estigma de "mulher pelada, palavrão e safadeza", por conta das Pornochanchadas que lotavam as salas nos anos 70 e 80. É hora de se mostrar que somos muito mais que peitos e bundas...

Cara, você sumiu lá do blog! Aconteceu alguma coisa? Espero que não. Seus comentários fazem falta...

Abração!

Marcelo

Jeferson Assis disse...

Olá, tudo beleza?
Olha, eu não SUPORTO as celebridades.
Tenho uma opinião formada sobre cada um: na telinha são uma coisa, mas fora dele são
extremamente opostas (pra pior).
Caso o P.C se posicione contra a diminuição da pornografia na TV, isso é um ato que merece elogios.

http://blogdojeco.blogspot.com/
Abraços.

Fábio Flora disse...

Não há ator que faça melhor o papel de Pedro Cardoso que o próprio Pedro Cardoso. Excelente ator. Abraços e sucesso com o blog!

Leandro Rocha disse...

Muito boa a entrevista e achei legal o Pedro se colocar como artista sobre esta questão.
As pessoas tendem a estabelecer feudos e censuram quem não concorda com elas. Antes o feudo era pseudo-moralista e agora pseudo-liberal... Tudo em nome da liberdade, contando que concordemos.
Faço coro com o Pedro em discordar do excesso de erotização das obras.