segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Mãe bate em filho ladrão enquanto outra protege filho pichador

Na semana passada o Brasil assistiu duas mães defenderem seus filhos de maneira, digamos no mínimo, antagônica. As duas situações aconteceram no sul do país mas são motivos de reflexão de leste a oeste.

Em Viamão (RS), uma mãe causou tanta polêmica quanto a professora de seu filho. O motivo: Ele pichou a sala de aula e a professora lhe obrigou a pintar toda a parede. O caso tomou repercussão nacional pois foi filmado pelos alunos que assistiam a aplicação da “medida disciplinar”. Muitas pessoas manifestaram-se a favor da atitude da professora, já a mãe do estudante então veio a público, alegando que não havia sido correto obrigar seu filhote pichador a fazer o serviço “sujo”.

O segundo vídeo é bem mais sério. Uma mãe de Londrina (PR), ficou sabendo pelos vizinhos que seu filho havia sido preso por roubo. Envergonhada com a situação que o seu filho a colocara, ela foi a delegacia e desceu o sarrafo no menor. A empregada doméstica ficou furiosa, e aos gritos disse que o jovem precisava roubar, porque ela trabalhava duro para dar-lhe as coisas, como o tênis que ele calçava e que ela ainda nem tinha acabado de pagar.

Vejam os dois vídeos seguidamente. É bastante interessante.

Acredito que jornalismo em blog deve ser opinativo. E nesse ínterim, deixo clara minha opinião desde o início desse post. Vejo bem de perto como é a vida dos professores. Por um salário muito aquém de sua importância para a sociedade, eles são obrigados a tentar dar um pouco de educação para pré-marginais. Não é raro, principalmente nas escolas públicas e de periferia, haver alunos coagindo os professores, as vezes até agredindo.

Muita gente questionou a atitude dessa professora, principalmente por ela ter chamado o moleque de bobo da corte. Mas, era essa a alusão que cabia. Um bobo da corte servindo aos demais, achando que pichando seria melhor ou mais forte do que é.

Vindo à imprensa protestar contra a mestra, mesmo que medindo as palavras e dizendo que o filho errou, provavelmente está dando elementos para que ele imaginasse que estava sendo defendido. É claro que o adolescente deve estar abalado, pois provavelmente virou chacota por todo canto em sua pequena cidade. Mas essa mãe deve ter muito cuidado, e zelar para que ele tenha aprendido a lição. Seguramente ela deveria ter sido a primeira pessoa a aplaudir a professora. É duro vermos a nossa cria exposta ao ridículo, embora pior ainda é ver que ele se desviou para o caminho que não devia.

Já a segunda mãe, merece aplauso e solidariedade. Educar um filho, por si só, já é tarefa das mais difíceis. Transmitir valores, ensinar, orientar e dar sustento, não são verbos que se conjugam de forma simples na vida de um brasileiro. No geral, ainda é preciso trabalhar pesado. Sem tempo para assistir os filhos adequadamente.

Mesmo quando a criação é boa ainda assim corre-se o risco de ver os nossos herdeiros seduzidos por alguma leviandade da sociedade. Foi o que aconteceu com a tal mãe. No meio de sua luta diária, ainda teve que ir buscar o filho na delegacia e mostrou para o Brasil o tamanho de sua dignidade ao por para fora toda a sua revolta por ver seu filho querido naquela situação. Ela que ainda trabalha para pagar o tênis usado pelo garoto no dia do assalto, não conteve seu instinto de mãe e quis mostrar o que era certo ali mesmo na delegacia.

E você, acha que qual mãe está certa? Deixe sua opinião e aumente o debate!

7 comentários:

Leonardo Fernandes Ayres Belens disse...

acho justo e digno, dou o maior apoio à profª q obrigou ao vagabundinho a pintar. e ser chamado de bobo da corte? isso ñ é nada. pior era euq sofria buling dos colegas, todos me chamando de viadinho, e nem por isso deixei de frequentar a escola. tô hoje formado, bem de vida, já morei fora; e osq me chacotavam: tudo usando droga e sem emprego. e apoio o esculaxo da 2ª mãe. a 1ª mãe é uma vaca, pq mesmo se eu fosse pai, só fico do lado de filhoq tá certo, filho errado, merece disciplina ou de dentro de ksa ou de fora.

http://ligaploc.blogspot.com

Anônimo disse...

Sou professora e mãe. O que tenho a dizer é que a professora fez o que achou que seria o melhor naquele momento e provavelmente estava insegura de sua atitude e com medo de ser desrespeitada e de não ter apoio dos outros alunos, talvez por isso tenha dito tais coisas. Mas ela fez bem, mostrou a todos que quem comete delitos tem que pagar, sofrer punições, assim é na sociedade e é pra isso que estas crianças vão à escola, pra aprender a viver na sociedade.
A segunda mãe: parabéns pela atitude, também não apoiaria atos irresponsáveis de meus filhos.

serena disse...

SOU COMPLETAMENTE A FAVOR DA MÃE QUE BATEU NO FILHO NA DELEGACIA JA PASSEI POR ESSA SITUAÇAO E BATI NO MEU FILHO MENOR NA DELEGACIA,É MELHOR A MÃE BATER DO QUE A POLICIA DEPOIS BATER.

Anônimo disse...

isso mostra q ela e uma mãe digna..
eu faria isso tbm ou até mais um pouco batia de correia mesmo!!
nem os policiais me deteria de tanta raiva..

Plínio disse...

ola, tudo bem?
tem post novo no Jornaleiro de Plantão
estou pedindo uma ajudinha sua lá... passa lá, por favor!

http://jornaleirodeplantao.blogspot.com/2009/10/ajudinha.html

Pr. Eduardo disse...

axo simplesmente ridiculo, uma mãe q ver o filho errado e ainda proteje o essa mulher fez foi ridiculo.. agora a coça q o outra deu bno filho fui muito bem merc
ido... pow a mulher trabalha pra da tudo pra ele e ele vai roba... assim ñ da...

devaneioseloucuras-raquel disse...

Nossa sociedade anda carente de valores. Muitos pais têm medo de traumatizar, medo de revoltar, medo de exercerem seus papeis de educadores. Pior ainda são esse que passam aos filhos seus valores invertidos, falta de respeito ao próximo. Se os pais dessem mais "nãos" aos seus filhos, talvez nossa sociedade pudesse estar menos neorótica.

Nã minha opinião, ambas as mães estão errada, pois se os filhos chegaram a este ponto foi por falta de base, os dois.

Abs