domingo, 26 de setembro de 2010

Planejamento e Execução

Durante toda a nossa vida estamos sempre sonhando e idealizando o que queremos ser, o que esperamos dos nossos caminhos.

Estamos pra lá do meio do ano, então já é possível até ter uma noção se a sua lista de sonhos feita na virada do ano vai ou não ter êxito. Eu não faço, mas costumo relacionar os meus objetivos para poder ir trabalhando mentalmente o que precisarei fazer para atingí-los.

Isso que acabamos fazendo naturalmente, dentro das ferramentas de gestão seria a primeira parte do ciclo PDCA. A sigla, em inglês, Plan, Do, Check and Action deduz que temos 4 passos para garantir o sucesso e alcançar os objetivos. É preciso Planejar, Executar, Checar e Corrigir.
Principalmente na vida, nossa principal falha está na execução. Geralmente não chegamos nem a checar e corrigir nossos rumos, ficamos perdidos mesmo em executar o que precisaríamos para atingir a tal felicidade.

Quantas vezes nos planejamos para equilibrar nosso orçamento, fazer aquela viagem, comprar o carro que queremos, liquidar aquela dívida antiga que não acaba e no final acabamos vendo que os objetivos planejados não estão sendo atingidos?

Isso simplesmente pelo fato de não executarmos com a exatidão necessária aquilo para o qual nos programamos. São coisas simples que nos impedem de seguir a diante com nossos planos. Se sabemos que vai ter prova na facul, e sabemos que teríamos aquele dia para estudar, deixar de fazer isso pode significar perder mais um período e emperrar aquela promoção que estava parada esperando o diploma. Deixar de sair para a balada algumas vezes, pode ser o necessário para não ter mais aquela dívida que se arrasta a tempos...

Precisamos executar mais, planejar na medida, para não ficarmos na ânsia de abraçarmos o mundo e não conseguirmos abraçar nem o nosso próprio destino. Se não executarmos, nossa vida acaba sendo um rascunho do que planejamento que seria.

9 comentários:

Kamilla de Muinck disse...

Adorei seu texto. Você saber usar bem as palavras. Parabéns. Seguindo.

Digho disse...

Essas dicas foram muito úteis.Eu estava precisando.

Fernando disse...

Olá, Daniel!

Primeiramente, grato por sua visita e palavras lá no Seu Anônimo.

Segundo, quero dizer que, se deixasse mais explícito meu posicionamento político no texto, daria nomes aos bois. O que, para uma pessoa inteligente, como você, e aos demais que leram o meu post com atenção, não seria necessário.

Fica muito nítido quem é que estou defendendo. Quem estou apoiando...

Qual o foco do texto?
Voto útil. Como é concedido o voto útil?
Normalmente para aqueles que estão na frente, liderando as pesquisas.

Realmente, o que falou, sobre eu fazer campanha contra aos que estão na frente faz sentido! E fico feliz por isso ter sido captado por ti.

Porque é pra coibir, justamente, esse pensamento. Evitar o voto daqueles que estão na frente, só porque estão na liderança das pesquisas de INTENÇÃO de voto.

Meus textos não têm o objetivo de serem fechados. Eles tê o propósito de serem abertos, para que qualquer um tire suas próprias conclusões, como você fez.

Não tenho a obrigação de explicitar quais são os meus anseios e opções.

O Seu Anônimo traz apenas o que penso, a MINHA opinião, por ser um blog pessoal.

Mas, aceito de bom grado sua manifestação.

Forte abraço,
Fernando Piovezam
seuanonimo.blogspot.com

Danilo Andrade disse...

Olá daniel. Realmente, nós da atualidade, corremos o dia inteiro na intenção de conseguirmos algo mas que na maioria das vezes não o alcançamos. Temos dificuldades de abrir mão daquilo que gostamos para que possamos priorizar outras áreas, e como você colocou, isso dificulta e muito a concretização dos objetivos. Faço uso da poesia de Cecília Meireles "OU isto ou aquilo" onde ela diz que não podemos ter duas coisas ao mesmo tempo, infelizmente, ou "guardamos o dinheiro ou compramos o doce."

P. Florindo disse...

Chega de procrastinar!

Fazer as coisas que planejamos algumas vezes parecem penosas e impossíveis, mas se não tentarmos, iremos nos sentir uns fracassados por muito mais tempo.

Losterh disse...

Ah, sim.
Reparei que somos tomados pelo incrível sentimento de improviso. De Saber que pode dar errado, mas achar que, em cima da hora, vai acontecer algo que faça tudo dar certo.
É até divertida a odéia, mas na prática é só útil em casa do emergência.
Como você citou, há coisas que não merecem todo esse risco.

Kate Luzzi disse...

Gostei muito, e tudo isso faz parte do meu contidiano, uma mudança que fazemos emnossas vidas, mudam nossa tarefas que eram pra ser reponsáveis.Mas a vida ela é feita sem planejamentos, nós temos que viver o nosso presente, sempre que eu tento me planejar é inevitável acontecer outra coisa no exato momento que planeijei a primeira coisa, das coisas mais simples a mais dificeis, você planeja e se da "mau", não literalmente, é claro, mas planeja e não sai como planejado, planejamentos pereitos é como a história da branca de neve, não existe, gostei muito do seu texto, você está de parabéns !

Bruna Ferreira de Assis disse...

Desculpa por não poder ter vindo te responder antes, mas meu tempo é reduzido, afinal, sou uma pré-vestibulanda...rsrs...e o seu texto, pelo menos no meu modo de ver, fala exatamente disso... O vestibular é um plano feito por milhares de jovens que se encontram na mesma época que eu..Essa é a meta do meu ano, também do ano de todos os estudantes do terceiro ano...

Eu nada fiz para merecer o êxito...me arrependo de não ter estudado como devia, mas ainda acredito na possibilidade de que eu alcance meu objetivo maior desse ano...

Quantas vezes não planejei estudar mais?!

É necessário, realmente, mais ação! Planos de estudo não responde uma questão...

Muito bom o bog..!

Cris Vaccariello disse...

Hum... PDCA... adorei! rs

Como vc mesmo falou, penso q o mais importante seja mantermos o objetivo principal, o fim, sempre em mente!

Durante o percurso muitas vezes nos perdemos do objetivo principal e quando percebemos já desviamos muito do caminho e do nosso objetivo.

Por isso, é tão importante checarmos de tempos em tempos se as nossas ações estão nos levando para os objetivos que desenhamos. Assim, ainda dará tempo de corrigirmos sem nos perdermos dos nossos sonhos!

Acho q filosofei... hahaha

Beijos